O absurdo absorve as atenções, o absurdo centraliza as atenções

11121958_10153334257552365_1374074483_n

Capacetes Azuis – ONU

e direcciona as intenções…
Vamos então conceder imunidade aos Capacetes Azuis?
Bem, ao que parece eles não podem ser julgados por crimes de guerra, quando mais não for porque são uma força de PAZ. Já arquivamos há uns anos o caso Pinochet, por demência? Como se todo o criminoso já não fosse demente por natureza!
Vamos conceder prémios de literatura a escritores chatos,de livros ainda mais chatos, que ficam super bem, entre bibelôs e bugigangas, nas estantes lá de casa…
Vamos comer, mais, desta mostarda, pois nos faz ser mais portugueses, ao evitar que as mulheres percam seu precioso tempo a preocupar-se com a educação. Mas que vão fazer piqueniques com seus filhos.
Que aproveitem e os façam num campo de refugiados da Bósnia
– não esquecer de levar um livro do Paulo Coelho, para ajudar na digestão. –
levando comida extra. (Nunca se sabe quantos soldados da PAZ (?!) vão aparecer.)
Aos homens, sugerimos a mesma mostarda, aqui por razões diversas, serão,
cada vez mais, portugueses preocupando-se, cada vez menos, com a união
europeia e seus problemas económicos. Assunto este muito pouco indicado
a portugueses e outros “pobres machos latinos” que se vêem gregos,
já que depois da mostarda, refastelado, o bom “portuga” pode, e deve,
falar de futebol, que: – “que quando Portugal ficou fora, apoiamos o Brasil,
não por razões qualitativas, mas por que por lá fala-se uma língua muito
parecida com o português. (Uma dita lusofonia de integração dos povos!!!)

foto: Robert Mapplethorpe

foto: Robert Mapplethorpe

Eu cá prefiro a pornofonia, ainda mais se acompanhada de uma boa pornografia e mostarda. (não exactamente nesta ordem!) a ter de assistir um encontro entre Angela Merkel e Cavaco Silva (mesmo estando os dois vestidos dos pés à cabeça)
Absurdo! Absurdo! Os EUA venceram-nos! Vetaram as decisões do Tribunal Internacional e conseguiram imunidade para os Capacetes Azuis.
E têm razão os “pobrezinhos”, qualquer estadunidense que se preze tem que ter “imunidade”, pois, assim como os vírus e as baratas, a cada nova geração tornam-se mais imunes à vontade das outras espécies, principalmente a humana!
Absurdos são os índices das bolsas internacionais e não a fome na Somália!
Absurdos são os que lutam pela liberdade de expressão e não o “terror” nas palavras dos que põem palavras nas bocas de Allah e Deus e Javé!
Absurdos não são os litros de leite que se atira à terra pelo bem dos acordos económicos europeus. Absurdos não são os acordos europeus. (?)
Absurdas são as palavras que escrevo, assim, garanto que não me atribuem prémio literário nenhum.
Parei! Fui! Pronto, já podem fechar a boca!!! Aleluia e Saravá que ninguém é de ferro (à excepção de Margareth Tatcher e Tony Stark) e há um monstro embaixo da minha cama, eu sou demasiado sexy para a minha camisola e blá blá, blá blá blá, eu te amo!

Comentários



PAR

Sou muitos por cento H2O o que quer dizer que fervo a 100 e congelo a zero... tenho muito para dizer mas só digo quando quero.

Publicação Anterior

Lambchop com dupla data em PT

Proxima Publicação

Hoje, Fernando Pessoa faria telemarketing!