Thee Magnets

Casa cheia no Cave 45.

A noite começou ao som dos Thee Magnets, actuação segura e disponível do quarteto, agora sem guitarra, que espalhou charme e dirty garage rock & roll… Mas a Cave, sem desprimor para os Magnets, estava em vigília pelo regresso à cidade do Porto dos Pop Dell`Arte.

A banda de João Peste & Cª  prestou-se ao culto, uma quase cerimónia, uma celebração musical que mantém o mote de originalidade, mesmo nos temas, vistos e revistos, que vêm desde os 80’s. Desconhecia pelo menos um par músicas, confesso que me perdi no alinhamento e ainda pedi ajuda – pelo menos um tema nenhuma das pessoas com quem falei no momento sabia do que se tratava.
Mais do que estar ali ao serviço da Irreversível, dei por mim a viajar nos meus 90´s, dei por mim a embalar nos mantras sonoros e em rituais transdiscos.
O concerto foi bom, o som esteve impecável, grandes ondas sonoras demonstrando uma evolução na continuidade de temas com 30 anos… e o que escrever mais sobre um show Pop Dell`Arte que ainda não tenha sido escrito ou dito?
Venham mais.

Pop Dell`Arte

Nota: Debati-me com a simplicidade e poucas linhas desta crônica. Cheguei a acrescentar coisas e palha, mas a querella interna levou-me a apagar todas as redundâncias… ficando apenas a curta espontaneidade primária.

Comentários



Francisco Barros

- Realizador e locutor radiofónico nos 90´s com "Rockodromo" & Outros
- Proprietário da extinta "Crash-Discos".
- Vocalista em "Model".
- Passador de música e performer em "Robotic Sessions".
- Musico experimental & Ocasional
- Colaborador e Ex-colaborador em diversas publicações nacionais e locais.

Publicação Anterior

Novas confirmações para o SonicBlast Moledo 2017 | 11 e 12 AGO

Proxima Publicação

Canções de Roda - Senhora Dona Anica