Osso Vaidoso é: Ana Deus e Alexandre Soares.
Convidados são: João Pedro Coimbra, Tó Trips, Pedro Oliveira e B Fachada.

gif por Nelson Rodrigues

Às 21:30 h do dia 03 de Junho de 2017, música ambiente e gente a fazer o registo (foto-vídeo) grafado da mais bela casa de espectáculos de Portugal. Mais interessante seria registar os caracteres na plateia, mas os direitos de imagem, e tal, não nos permitem tal acto de boa-fé!

Osso Vaidoso | foto por Nelson Rodrigues

E lá vão eles, lá vão no poema “Comigo me Desavim” do Sá de Miranda e Ana Deus a dizê-lo, a cuspi-lo na nossa cara e a curti-lo para lá de para caralho. A voz de “Deus” dessacraliza todas as poemáticas que aborda, a voz de “Deus” é contínua e continua límpida como o rugir do tigre que outrora fora…

Mas foi, infelizmente, sobreposta muitas vezes pelos agudos sobressalentes do som, ao ponto de não se perceber uma única palavra daquilo que cantava. E creio eu, na minha burrice de quem assiste, que, havendo um vocalista, deva ser possível ouvir sua voz durante todo um espectáculo, e não apenas nos “obrigados” obrigatórios do entre-canções!

Tudo esfacelado, desfeito, desconstruído no desejo Míope de enxergar ao longe mas as cordas não deixam… E a voz só nos vem aos ouvidos como lampejos de felicidade, como se só nos fosse dado saber da voz quando começamos a ter prazer em ouvi-la! Então há que desfazer tudo outra vez.

Assim, se se faz música dos poemas, de muitos poetas, de que se gosta, dever-se-ia querer que suas palavras fossem entendidas. É que, sinto muito, nem “Deus” nem “Fachada” nem mais nada!

Mais “Deus” e menos barulho. SFF!

Eu sei que faço parte dos muitos filhos do psicadelismo mas, desta vez, foi só a sentir falta de uma voz para sobrepor virtuosismos instrumentais, o Osso é muito Vaidoso. Coimbra é show. Oliveira é show. Fachada é show. Trips é show. Soares faz show.… “Deus” é show quando “Soares” deixa sua voz ser ouvida.

Como português e poeta que sou, não exactamente nesta ordem, a palavra é imprescindível, ouvi-la, lê-la, percebê-la, compreendê-la… O que só em certos momentos, de prazer auditivo, foi permitido ter. Queria ouvir a voz de “Deus” e não as trombetas do Apocalipse.

foto por Nelson Rodrigues

Comentários



PAR

Sou muitos por cento H2O o que quer dizer que fervo a 100 e congelo a zero... tenho muito para dizer mas só digo quando quero.

Publicação Anterior

L’Agosto - Festival urbano de Guimarães | Agenda

Proxima Publicação

1755 | CONCERTOS DE LANÇAMENTO DO NOVO DISCO DOS MOONSPELL | Agenda