“All that is necessary for the triumph of evil is for good men to do nothing”- Edmund Burke

Entre tratados e treteiros vão caindo as máscaras e as caretas. O pior dos cobardes surge na face do medo, o melhor dos virtuosos e dos justos também.
tumblr_static_tumblr_mwxgkdm1uq1r0tytoo1_500Sugeriram-me que escrevesse um artigo opinativo para esta plataforma sobre a questão dos refugiados sírios na europa. Em vez disso vou escrever sobre a tragédia das pessoas ignorantes e cobardes. Acho que é ainda mais urgente. A primeira questão vai ser, eventualmente, dissipada, de uma forma ou de outra. A segunda é eterna.
O que eu pretendo espraiar neste texto é relativamente simples. Existem pessoas que vivem vidas inteiras sem tirar os olhos do próprio umbigo. Tudo e todos os que os rodeiam, não passam de ornamentos e figurantes no monólogo umbilical que é a sua existência. É a velha máxima do “não tenho nada contra os pretos, mas livra-te de trazer um cá para casa”.
Vou abordar a questão supramencionada, a dos sírios, mas apenas para vos dar o exemplo acabado desta espécie.
É assombrosa a verborreia que tenho lido e ouvido nos últimos tempos sobre o tema. Desde o “eles vêm para aqui com bombas para rebentar com esta merda toda”, até ao muito mais esclarecido “eles vêm pra cá para nos roubar o trabalho”, passando pelo iluminado “não temos que chegue para nós e ainda vamos dar aos outros”, tudo é razão para “os manter na terra deles”.
O que eu tenho a contrapor a estas opiniões tão eruditas é o seguinte:
Não me parece nada cristão recusar abrigo a alguém, porque tenho a casa desarrumada e estou sem eletricidade. Se acreditam que eles vos vêm roubar o trabalho, parem de votar nos idiotas que vos voltam a governar. São eles os responsáveis por esse mesmo trabalho não ser seguro. Para além disso, sempre ouvi dizer que “se vem para trabalhar é bem-vindo”.
Sim, lá no meio há de haver pessoas mal-intencionadas e piores ainda, se calhar ainda nos vem parar um fanático armadilhado á porta de casa. Mas o ódio e o fanatismo, infelizmente, não escolhe raças ou religiões ou pátrias, existe em todas elas. E a ignorância e o medo também. É essa a tragédia maior. O SER HUMANO É UMA BESTA! É essa a tragédia…

Comentários



Daniel Silva

33 anos - Trofa

Publicação Anterior

Sufrágio Transcendente

Proxima Publicação

JAMESON URBAN ROUTES 2015