Sou do tempo em que a MTV era a televisão da música. Cabia lá tudo, do rock ao hip hop, passando pela electrónica ou por sonoridades consideradas underground. Era a TV dos grandes unpluggeds, do Beavis and Butt-Head e do Headbangers Ball. Por lá passaram Jon Stewart, Tom Green e os insanos Jackass. Era a alternativa à monotonia e ao establishment.

Beavis and Butt-Head

Os anos passaram e a MTV transformou-se numa televisão de reality shows fatelas. São as casas dos famosos, as séries teens e, o sucesso do momento, os qualquer-coisa-Shore. Os qualquer-coisa-Shore são shows de realidade onde se junta um grupo de jovens potencialmente galdérias com um outro feito de musculados indivíduos que transpiram anabolizantes, financiam-se bebedeiras diárias em localizações paradisíacas e o sexo acontece.

MTV Super-Shore

Um destes dias tive a oportunidade de assistir a um destes programas durante cerca de duas horas. Resumidamente, os participantes acordam de manhã, vestem-se, vão passear para junto de uma qualquer praia solarenga, alimentam-se, dizem umas javardices, vestem-se para sair, ainda que a escolha possa recair apenas por uma parte de cima de bikini e um microscópico fio dental, roçam-se em meia discoteca e voltam para casa, onde devidamente escondidos por baixo de um cobertor, fodem como se não houvesse amanhã. E no dia seguinte repete-se tudo de novo. Aos mais conservadores, não temam: qualquer tentativa de exibição de um órgão sexual ou de um simples mamilo feminino será imediatamente censurado.

MTV Shore

Pelo meio, o desenrolar da trama vai sendo comentado pelos próprios actores, longas dissertações sobre as quem pretendem aviar, quem aviaram ou quem os seus companheiros aviaram ou não aviaram mas deviam. Eles, versões recortadas e contemporâneas de um qualquer Zézé Camarinha, elas, orgulhosas galdérias sexualmente insatisfeitas. À beira destes fenómenos, qualquer participante português de uma Casa dos Segredos não passa de um menino de coro bem comportado de milimétrica risca ao lado.

MTV Shore

Foi nisto que a MTV se transformou. O cada vez mais curto espaço de tempo dedicado à música em pouco ou nada difere das playlists que poderão ouvir em qualquer rádio portuguesa. Lady Gaga, Beyoncé, Justin Bieber ou One Direction. A receita standard da indústria. A MTV de hoje já não é Music TeleVision. É Merda TeleVision. É a MTV Shore, uma televisão icónica transformada num prostíbulo vazio e parolo.
hqdefault

Comentários



João Mendes

Publicação Anterior

A Humanidade é “pseudo-coisa”!

Proxima Publicação

Girafas, cata-ventos e girassóis!