Os Mécanosphère viajam por uma franja artística pouco dada à turba, ao populacho, ao amontoado.
IMG_3533O formato pouco convencional do projecto, com um baixo, um contra-baixo, um saxofone, muitas vezes duas baterias em simultâneo, uma secção de sintetizadores, pc, caixa de ritmos e afins, mais uma voz, deixava logo antever e prever que poderíamos estar perante algo de novo, o que não significa imediatamente que seja algo de bom, mas aqui para o observador é logo motivo de destaque, isto porque concerto-a-concerto, cada vez mais, apenas se encontra repetições das mesmas fórmulas. Mas o som dos Mécanosphère é realmente algo de novo… e bom, muito bom. Todo o concerto foi uma busca de intensidades, de relativizações sonoras, de construções e demolições, de construções e demolições, de construções e demolições, “molécula por molécula“.
Depois Adolfo Luxuria Canibal é o glacê deste bolo sonoro, a angostura concentrada e aromática que, sem desprimor para o cocktail, transforma a bebida em algo de ainda mais singular.
IMG_3564Foda-se, é-me difícil escrever esta cronica. Estive na minha praia, passei grande parte do concerto arrepiado, todo arrepiado, siderado, e humildemente não vou conseguir escrever nada que se assemelhe com uma “crítica independente”, nenhuma análise objectiva vai sair destas linhas.
IMG_3590O público presente em bom numero e maioritariamente disponível para a novidade pedia mais da banda no final do concerto, o que não veio a acontecer, mas o facto resume uma actuação extremamente conseguida.
IMG_3609Quando decidi escrever sobre concertos para a Irreversível deixei bem claro, para comigo mesmo, que jamais seguiria o tradicional jornalismo, que análises com o formato costumeiro e corriqueiro não seriam o meu caminho, que não queria nem seria analítico. Mas este concerto ultrapassa até isso. Fiquei apaixonado e o enamorado não deve escrever sobre o objecto a dissecar, pelo menos publicamente…

Fotos gentilmente cedidas à Irreversível por Teresa Ribeiro

Comentários



Francisco Barros

- Realizador e locutor radiofónico nos 90´s com "Rockodromo" & Outros
- Proprietário da extinta "Crash-Discos".
- Vocalista em "Model".
- Passador de música e performer em "Robotic Sessions".
- Musico experimental & Ocasional
- Colaborador e Ex-colaborador em diversas publicações nacionais e locais.

Publicação Anterior

Aos que não têm pés para usar sapatos!

Proxima Publicação

O fabuloso destino de Marcelo Rebelo de Sousa