O extraordinário universo surreal de Martin Zimmermann chega ao palco do Centro Cultural Vila Flor este sábado, dia 18 de março, às 22h00. Com assinatura do reputado criador de novo circo, “Hallo” é o único projecto em que se apresenta a solo na sua já longa carreira. A contar mais de 20 anos em cima dos palcos, o artista suíço cria uma linguagem única para exprimir o seu mundo interior, com uma forte carga surrealista a partir da qual cria universos fascinantes. Dança, teatro e magia fundem-se num espectáculo incrível, que promete deixar a plateia siderada.

Martin Zimmermann é um artista do movimento, um brincalhão fervoroso, um palhaço frenético. Contando com uma extensa carreira de 20 anos, ao longo da qual trabalhou em colaboração com Dimitri de Perrot, o artista criou, em 2014, o seu primeiro (e até agora único) espectáculo a solo, com o qual tem percorrido o mundo com grande sucesso. “Hallo” é um espectáculo fascinante, cheio de imprevistos, capaz de fazer a plateia suster a respiração ou rir às gargalhadas. Uma tentativa de purgar os pensamentos absurdos que carregamos, na esperança de obter algum controlo sobre os aspectos mais bizarros que nos assaltam.

Hallo” é uma sequência de acidentes à espera de acontecer. Uma peça em que o cenário ganha vida expondo a personagem às situações mais inusitadas. Nesta criação, Zimmermann brinca com as várias personalidades que habitam dentro de nós e reflecte sobre isso num espectáculo cheio de humor e inteligência. Porque às vezes não nos devemos levar demasiado a sério.

É o CCVF a brindar-nos com o belo imprescindível mais uma vez!

Os bilhetes para o espectáculo podem ser adquiridos nas bilheteiras do Centro Cultural Vila Flor e da Plataforma das Artes e da Criatividade, bem como nas lojas Fnac e El Corte Inglês, entre outros pontos de vendas, e na internet em www.ccvf.pt e oficina.bol.pt.

Comentários



Miguel Sousa

Responsável pela agenda Irreversível.

Publicação Anterior

Aos anos que não via esta merda...

Proxima Publicação

Há deserto na Ucrânia - Concerto Stoned Jesus & The Black Wizards @ Hard Club | Crónica