Marcamos encontro para quando?
No domingo à tarde no TNSJ para ver o Macbeth de Nuno Carinhas!
Tão feio e belo dia nunca vi.
Um sol abrasador do lado de fora do edifício do teatro, plateia superlotada e esgotada até ao fim da temporada, silêncio…

Cenografia impecável, justa e minimalista, bela, como se pede a uma adaptação de um clássico eterno como os de William Shakespeare. Um elenco afinado, com aplauso meu (especial) para as “3 estranhas irmãs”. Sendo final de temporada, o texto faz-se corpóreo e pesa os ombros dos actores. Tenho, e sempre tive, predilecção por finais de temporadas.

O vosso nome?“, pergunta o que morrerá.
Ouvi-lo só assusta“, responde o que matará.
E o trágico assoma-se aos nossos olhos e ouvidos, o texto escorre nas paredes do teatro, (O sub-titulado ao topo e uma quase invisível linguagem gestual.) escorre para os nossos ouvidos e aperta-nos o peito, somos cúmplices calados e coniventes de todos os crimes que são perpetrados pelo Senhor e a Senhora Macbeth.

Ficai, imperfeitos oráculos, dizei mais!
Sim, dizei mais, repetimos nós… Fazei mais pelo teatro, trazei todas as peças que puderdes, dai-nos muitos mais, e cada vez mais, clássicos.
Venham altos e baixos poderes. Mostrai os vossos seres!

Contente por ter assistido a uma excelente montagem dramatológica, felicito a todos pela bela tarde de um domingo “Shakespeareano”!
Macbeth nunca será vencido até que a floresta marche contra ele!

E depois chá de limão e umas belas torradas para dar prazer aos restantes sentidos do corpo.

 

Comentários



PAR

Sou muitos por cento H2O o que quer dizer que fervo a 100 e congelo a zero... tenho muito para dizer mas só digo quando quero.

Publicação Anterior

10º Festival Folk Celta | Cartaz completo | Agenda

Proxima Publicação

Platskarny – Viagem no Transiberiano