Um breve “impromptu” à guisa de afinar os Caramelows… E são 9 em palco, 9 de arte, de artista e de perfeição…

Gif por Nelson Rodrigues

Trans-preta, trans-jazz, uma artista com camião para muita e muita areia. Segue a mulher-poder a electrizar no palco. A quebrar tudo, a transtornar os parados, a fazer de uma sala theatral (Onde nunca havia visto sair-se dos lugares e ir para a beira do palco dançar.) uma enorme festa dançante, com a plateia a delirar. (Sob o olhar atento do pessoal de sala, a quem aproveito para dar os parabéns, pela eficiência e tolerância.) Trenzinho!!!
Há muito dos espectáculos-show paulistas das bocas dos anos 90, nisso da rádio transfundida pelo participativo que se cruza ao cabaret. “Uns quaisquer de alguma coisa” conforme diria Abujamra. Digno dono de seu palco e de seu público, Liniker remonta antes de desmontar TUDO. Quase performance de um ser que transita de um lado ao outro do Theatro Circo.

Liniker e os Caramelows conseguiram agitar as águas e os ares do recinto, conseguiu mandar-me de volta no tempo. Um tempo em que seguia encantado os trabalhos musicais e performativos de Artistas como Premeditando o Breque e/ou Lingua de Trapo. Peço a são Kid Vinyl que faça da Liniker, a abridora (maravilhosa) das portas de Portugal a tantos outros artistas que transgridem e transformam de maneira linda o panorama contemporâneo da Nova Música que se Faz no Brasil. (Johnny Hooker, Bruno Cosentino, Lineker, Paulo Ho e tantos que mais sejam…)

Criar beleza é a melhor maneira de acreditar num mundo melhor e mais transversalmente justo. E nisto, LINIKER, deu show e show, Maravilhosa! Liguemos sempre as luzes dos nossos “celulares”. És linda Liniker e peço-te que não te faças muito “DIVA só por quê sim, e pronto!” peço-te! Tua arte é com um beijo e os beijos são muito bons, especialmente os inesperados. (Os quase roubados.)

Foi um show do “caralho”, Mulher! E eu confesso que sempre amei mulheres e artistas do “caralho”! Tive, para minha felicidade, saudades de Tim Maia, de Hyldon, de Cassiano, que eram também “mulheres pretas” do Caralho! Como eu e tu e muitos outros são “mulheres pretas sempre”.

Os políticos brasileiros podem passar o resto de suas vidas a tentar destruir o Brasil (das maneiras mais atrozes.) mas não conseguirão. Enquanto houver ARTISTAS MULHERES PRETAS como LINIKER e os CARAMELOWS… haverá, sempre, um mundo melhor e mais trans-itável, trans-mutável, trans-ável…

Um beijo enorme à Liniker e aos Caramelows!!!

Desenho por pauloramosartistadesenhistapoetafotografo


Liniker e os Caramelows @ Spotify

Comentários



PAR

Sou muitos por cento H2O o que quer dizer que fervo a 100 e congelo a zero... tenho muito para dizer mas só digo quando quero.

Publicação Anterior

"Criar um universo maior" - Paraguaii em entrevista

Proxima Publicação

Sons à Margem - "Um Festival nas Margens do Som" | Agenda | Entrevista