Indouro Fest

Indouro Fest

Chegamos bem cedo, já com a noticia que os Clinic não iriam actuar, a VN Gaia e ao Indouro Fest. O 1º destaque é sem duvida para a beleza natural da zona envolvente aos dois palcos, com uma vista magnifica sobre a cidade do Porto e Rio Douro, que se foi tornando mais bela com o avançar das horas…

Deambulamos entre os 2 palcos, o que não foi nada positivo para as pernas, aquela subida para o palco principal, junto ao Mosteiro da Serra do Pilar, não deixa grandes recordações e inibiu de forma irreversível o visionamento de bandas no palco secundário.
Assistimos apenas ao concerto de Rated With An X, a banda conseguiu reunir bastante pessoal em frente ao palco, algo que não parecia possível, pois quando começaram a tocar o recinto estava praticamente vazio. Entre cervejas estivemos à conversa com a banda que despertou alguma curiosidade.

Regressamos de forma definitiva ao palco principal para assistir a um dos destaques do Irreversível, os The Lost Rivers, sobre eles escrevemos um post logo no dia seguinte… seguiram-se os Electric Litany que cativaram ainda menos em cima do palco do que nas audições caseiras, no entanto o público parecia estar a gostar e brindaram a banda com um par de ovações.
Com a chuva a dar sinais de querer ficar, subiram ao palco os The Limiñanas, esperava-se um duo e surgiu toda uma banda, viram-se os primeiros pézinhos de dança ao som de indie-pop-rock.
Os Tristesse Contemporaine foram a boa surpresa da noite, agarraram o público e o Irreversível com um som multi-estilo e multi-cultural. Não era de todo uma das bandas que nos levantava expectativas, e saímos do Indouro como fãs.
Os The Lucid Dream proporcionaram o concerto que o Irreversível esperava, eram um dos nossos destaques para a primeira  noite, e mais do que não desiludir, aparentemente surpreenderam maioritariamente o público. Com uma prestação cheia de sonoridades indie vindas directamente do underground-psych-rock das ilhas britânicas, foi o grande concerto do 1º dia da 1ª edição do Indouro-Fest.

Não ficamos para o que se seguia. O cansaço tomava irreversivelmente conta da situação. Pedimos desculpa aos White Haus e prometemos uma cobertura personalizada em breve.

Num balanço deste 1º dia-Indouro-Fest temos de elogiar a coragem da organização perante as adversidades inesperadas, mas que não surpreende, pois já o tinham demonstrado com a selecção de bandas. Num cenário nacional onde cada vez mais os festivais são semelhantes entre si, este Indouro primou pela diferença carregada de qualidade, mantendo o destaque na música, apenas na música.

Comentários



Miguel Sousa

Responsável pela agenda Irreversível.

Publicação Anterior

Desobediência Civil ou Direito Civil?

Proxima Publicação

Galeria de arte Rui Alberto inaugura com Eduardo Souto Moura