Estivemos a conversar com o Miguel Bessa, um dos organizadores da celebração artística independente , para descobrir mais algumas coisas sobre o festival do bosque encantado:

Qual é a génese do IMF?
unnamed (5)– O Indie Music Fest nasceu na esplanada de um bar na recta do Ribeiro, em Baltar, chamado Indie. Esse evento foi realizado no dia 1 de Setembro de 2012 e passou a ser carinhosamente chamado de “Edição Zero” daquilo que é hoje o Indie Music Fest. Foi este pequeno evento numa esplanada para cerca de 300 pessoas e com artistas locais que deu origem ao “Melhor Micro Festival” nacional de 2014.
A ideia criada por mim e pelo Elias, ganhou a força que hoje vemos com a experiência do Pedra e o incrível conhecimento do Nalha. Foi quando passamos de dupla a quarteto que nos instalamos no bosque do Sr. Cruz e ganhamos coragem para criar um verdadeiro festival de Verão.

Qual é o elemento diferenciador do IMF?
– O Indie Music Fest é um festival de Verão. É isso que é. Todos os festivais que frequentas ou conheces têm elementos diferenciadores, mas no fundo são festivais de Verão.
O nosso evento destaca-se pela facilidade e o à vontade com que os nossos visitantes (publico e artistas) fluem pelo nosso recinto, que, na minha opinião, é uma das nossas maiores vantagens. Somos dos poucos festivais que tem todos os palcos, bares, casas de banho e campismo dentro do mesmo espaço com separação natural. E é um bosque. Um bosque lindo. Um bosque decorado, quase como se entrasses na “twilight zone”. Por 3 dias, esqueces-te que o mundo existe. E o facto de termos um cartaz variado no que à forma e artes diz respeito também ajuda.

Depois do reconhecimento nos Portugal Festival Awards com a distinção para “Melhor Micro Festival” o objectivo é subir de divisão ou tentar manter o prémio?
– Quando ganhas um prémio, a fasquia é naturalmente elevada. Desafio esse que nós, organização, estamos mais que dispostos a aceitar e conquistar. Seres reconhecido como o “Melhor Micro Festival” do pais traz responsabilidades alargadas, como é obvio, mas é onde nós nos sentimos bem. É nesta divisão que vamos estar e continuar. É aqui que nos sentimos em casa.

Quais as maiores dificuldades que a produção do IMF encontra para realizar o festival?
– Financiamento. É extremamente complicado encontrar financiamento para a realização de um evento como o Indie Music Fest. Os nossos patrocinadores, todos eles, são uns amores e umas pessoas cheias de coragem porque quase todos eles estão connosco desde o inicio, desde o primeiro minuto. Mas para um evento de 3 dias com um bilhete adequado à austeridade actual, com imensos artistas, estruturas e logística que nunca mais acaba, ainda estamos muito ao lado daquilo que necessitamos. É uma luta constante, mas uma luta que nos dá muito gosto em travar.

Destaques desta edição?
– Este ano o destaque passa, invariavelmente, pelos Linda Martini. Tenho a sensação de que eles são, neste momento, a banda com maior culto no nosso pais e torna-os assim um destaque por si só. Se bem que grande parte das nossas bandas são escolhidas com o cuidado de ser um espectáculo raro, no sentido em que não é fácil ver a maioria dos nossos artistas noutro festival que não o nosso. Outro destaque são as 44 horas de musica e entretenimento nos dias do festival, com concertos a começar as 4 da tarde e o encerramento por parte dos DJ às 6 da manha com a piscina a debitar decibel desde as 14 horas.

– O que é Irreversível?
– Irreversível é o impacto que o Indie Music Fest teve nas nossas vidas. É irreversível a forma como o festival influenciou e alterou a a forma como habitamos este mundo e a maneira como passamos a ser como pessoas. Pessoas de trabalho, de convívio, de influencias. Irreversível é o Indie Music Fest.

O IMF decorre nos dias 3, 4 e 5 de Setembro, no Bosque do Choupal em Baltar “o centro do mundo”, sendo um dos destaques do Irreversível para este verão festivaleiro. A aposta no produto nacional e toda a naturalidade e simplicidade com que esta malta montou um evento, que pretende deixar marca ano após ano, é também motivo de relevância no panorama indie.

Passatempo

O irreversível está a sortear 3 bilhetes diários individuais para o INDIE MUSIC FEST 2015! Participar

Comentários



Miguel Sousa

Responsável pela agenda Irreversível.

Publicação Anterior

Covers & Filhos S.A.

Proxima Publicação

Dei um beijo de língua no sopro...