No meio desta hecatombe de sentimentos
Que poderia esperar eu senão isto
Explodir de contentamento
Pode trazer um medo aterrador
De tudo perder
Que puta de contradição
Até gostava de poder desligar
Sentir tanto e ao mesmo tempo
Num lamento de alegria
É o problema de sentir-te demasiado
Sendo a solução continuares a desgarrar-te de mim dessa maneira
E o ver-te liberta
Na tua sensibilidade de gozar
Para depois se interpor a distância
Que não conseguimos controlar
E regressa a vontade
Maldita e bela
Essa que me faz querer
Voltar
Deleitar-me com a voz
Saída do peito
Vibrante e sonora
A retumbar nas veias
Desarmar-me com esses teus olhares
E te abrires
Em gemidos e dentadas ao de leve
Escondida no meu corpo
A sugar-me a pele e a carne

Comentários



Miguel Pedro Carvalhais

Publicação Anterior

Concertos de Nyx Kaos & FERE @ Cave 45 | Crónica

Proxima Publicação

SEAN RILEY & THE SLOWRIDERS | 3 datas em Fevereiro