Os GOAH apresentam o vídeo do single “Beautiful Life‘, o primeiro avanço para o EP de estreia composto por cinco temas, gravados @ Stone Sound Studio, com sonoridades que vão desde o Funk, ao Rock e ao Pop, criando ambientes cheios de good vibes e muito groove.


A apresentação ao vivo do novo EP está agendada para o próximo dia 27 de fevereiro, no Espaço A – Espaço de Intervenção Artística, com a 1ª parte por conta dos Jesse.

12735866_957073234379078_225356723_n
… apanhando o Ricardo “Pedra” Oliveira (baterista) completamente desprevenido, saquei-lhe umas respostas a umas perguntas Irreversíveis:

Ricardo "Pedra" Oliveira

Ricardo “Pedra” Oliveira

– Como descreves o disco?
– … animado, festa, boa disposição, boa onda, groove … cheira a verão!

– E lançam o EP no Inverno?
– Sim, para as pessoas aquecerem ao som do EP e para chegarem ao verão a saber as musicas todas… para nos seguirem nos gigs!

– Muitos gigs a a caminho para apresentar o trabalho?
– Sim, estamos a batalhar para isso… e vamos conseguir… não é fácil encontrar casas com as condições logísticas, mas estamos no bom caminho. Goah tem projecções de imagens no seu espectáculo e precisa de um som com muito power… para as pessoas sentirem cada batida no corpo!

– Depois do estúdio para a gravação do EP querem cuidar bem da “criança” em palco… mas isso não significa menos concertos?
– Não, mas vamos tentar sempre fazer concertos com qualidade. É óbvio que poderíamos ter mais gigs ao aceitar tocar em todos os espaços da rota normal das bandas, no entanto preferimos poucos mas bons…

– Estive presente na gravação do video de estreia e sentia-se bastante boa onda entre os elementos da banda. Já não se viam desde o estudio ou essa conexão é de esperar em palco?
– É óbvio que essa conexão existe sempre… somos todos amigos há muitos anos… e continuamos em ensaios constantes de forma a preparar a tour… estamos sempre ligados… ou melhor, conectados!

– Produzir um disco onde se participa como elemento da banda não se corre o risco de não conseguir separar as águas?
– Eu e a banda produzimos as musicas ate certo nível. Depois chegou a um ponto onde precisávamos de ouvidos frescos, então contratamos o Rodolfo Cardoso para produzir o disco connosco, ele é o meu mentor, tudo o que sei a nível de produção é a custa dele, pessoa de um carácter incrível, musico incrível, produtor fantástico… e sem duvida que ele foi a pitada de sal que faltava ao disco.

– E o Ricardo Oliveira para além dos Goah, continuas a todo o gás…
 – Sempre, com “gás” a mais. Desde Goah, Jesse, Rui Taipa + Blackbirds, mais as produções no estúdio, aulas, trabalhos como técnico, etc etc, e claro o Indie Music Fest que tem sido um ponto enorme na minha carreira… Tenho conseguido concretizar os meu sonhos e até aqueles que nunca pensei que pudessem ser possíveis. Tenho o meu estúdio, toco em varias bandas, o que adoro, e co-produzo um festival que ganhou pelo segundo ano consecutivo o prémio de melhor micro festival de Portugal, atribuído pela Portugal Festival Awards… que se pode pedir mais?

– O que é para ti Irreversível?
– O tempo.

GOAH

GOAH

 

Comentários



Francisco Barros

- Realizador e locutor radiofónico nos 90´s com "Rockodromo" & Outros
- Proprietário da extinta "Crash-Discos".
- Vocalista em "Model".
- Passador de música e performer em "Robotic Sessions".
- Musico experimental & Ocasional
- Colaborador e Ex-colaborador em diversas publicações nacionais e locais.

Publicação Anterior

Léxico das Palavras Perplexas

Proxima Publicação

Plus Ultra - Entrevista com o Azevedo