Na proposta do físico quântico Erwin Schrödinger o gato dentro da caixa pode estar vivomorto. Sem abrir a caixa e verificar o estado do gato a mecânica quântica sugere que o gato está simultaneamente vivo e morto, mas quando se olha para dentro da caixa apenas se vê o gato ou vivo ou morto, não uma mistura de vivo e morto.
Ou seja, antes de se saber uma coisa, essa coisa é e não é ao mesmo tempo. Em diferentes dimensões, a coisa pode ser numas e não ser noutras.
Não vou desenvolver a teoria do Gato de Schrödinger, nem serei eu a melhor pessoa para a explicar, só quero agarrar a sugestão de proposta e aplica-la a algumas questões.
Concretizando:
Pedro Passos Coelho não pagou e pagou as contribuições devidas.
José Sócrates é e não é corrupto, e está e não está preso.
O FMI emprestou e não emprestou dinheiro a Portugal.
Cavaco Silva está e não está mumificado.
O BES faliu e não faliu.
Os milhões da Isabel dos Santos investidos em Portugal são sujos e limpos ao mesmo tempo.
Estou a escrever isto e não estou.
Somos e não somos responsáveis pelas nossas acções.
Comandamos e não comandamos o nosso destino.
Deus existe e não existe.
Estás e não estás a ler isto.

É o principio da incerteza e que nos transporta para o entrelaçamento quântico, que define que dois ou mais objectos estão de alguma forma tão ligados que um objecto não possa ser correctamente descrito sem que a sua contra-parte seja mencionada.

É e não é.

Comentários



Miguel Sousa

Responsável pela agenda Irreversível.

Publicação Anterior

Imperdoável

Proxima Publicação

Neil Harbisson: O Eyeborg