Finalmente descobri o que é ser Hipster caralho!
É tirar uma selfie no Primavera Sound. É tirar uma foto de grupo no Alive. É usar a pulseira de Paredes de Coura até alguém se queixar do cheiro da mesma. É dizer que se ouve Black Keys desde 2001 e que sempre gostaram de Muse e Coldplay, é ser fã do Josh Homme e repetir sempre a frase: “Eu já gostava de x e y antes de eles serem famosos”. É usar All-star e Doc Martens. É usar uma mala para o mac e andar com o iPhone na mão. É ser choroso fã de tudo o que morre, do Bowie ao Prince, de copo de Gin na mão. É ir para pista dançar ao som de MGMT e M83.
É dizer que se lê Kerouac, Becket, Burroughs e Kafka, mas na melhor das hipóteses viram na wikipedia… a única coisa que lêem são as mensagens que trocam e os comentários às fotos no Instagram, Facebook, Tinder e Grindr.
Ser Hipster é ser Trendy caralho. É estar inserido na sociedade de uma forma bué, mas mesmo bué, independente e alternativa. É fumar umas ganzas nos festivais e dar uns riscos no clube, é ser não fumador e só comer cozido à portuguesa, feijoada e rojões, em família.
Ser Hipster é usar uma t-shirt dos Ramones!

Comentários



Francisco Barros

- Realizador e locutor radiofónico nos 90´s com "Rockodromo" & Outros
- Proprietário da extinta "Crash-Discos".
- Vocalista em "Model".
- Passador de música e performer em "Robotic Sessions".
- Musico experimental & Ocasional
- Colaborador e Ex-colaborador em diversas publicações nacionais e locais.

Publicação Anterior

Falando de stage diving…

Proxima Publicação

Irreversível @ Porto Beer Fest