unnamedPela terceira vez na história do Festival, o grande prémio do Curtas Vila do Conde foi entregue a um filme português: “Mined Soil”, de Filipa César. A curta-metragem sobre o combatente guineense e engenheiro agrónomo Amílcar Cabral foi galardoada com o Grande Prémio “Jameson”. Já na Competição Nacional, o vencedor foi João Rosas com “Maria do Mar”.

Também na Competição Nacional, o Prémio do Público foi entregue à animação “Amélia & Duarte”, de Alice Eça Guimarães e Mónica Santos. Margarida Lucas foi distinguida com o prémio de melhor realização pelo filme “Rampa”.

Este ano, o júri das Competições Nacional e Internacional do Curtas Vila do Conde foi constituído por Alexandra Zawia, jornalista cultural e crítica de cinema, Grégory Bernard, produtor de vários filmes de Quentin Dupieux, Paolo Manera, músico, crítico de cinema e programador italiano, Pedro Mexia, crítico literário e cronista do jornal Expresso e pelo realizador galego Lois Patiño.

Na Competição Experimental o vencedor foi o egípcio Basim Magdy com “The Dent”. Já na Competição Curtinhas, o júri composto por um grupo de crianças, escolheu “The Present”, de Jacob Frey, como melhor filme da competição.

Venha a 24º.

Comentários



Miguel Sousa

Responsável pela agenda Irreversível.

Publicação Anterior

Já sei que qualquer merda é DJ (3)

Proxima Publicação

8ª Edição do Festival Folk Celta