Alguns estudantes mostram suas teses dentro de envelopes pardos simples. Outros meticulosamente aprisionam-nas em trabalhos usando Adobe InDesign. No entanto, os alunos do estúdio de CalPoly San Luis Obispo 400  decidiram, para a sua tese, trabalhar numa teia de aranha de cerca 230 m², feita a partir de fita-cola. Esta instalação de escala real, chamada de “Stuck”, é um emaranhado de túneis translúcidos, nalguns dos quais chegam a caber cinco pessoas confortavelmente, que podem folhear os artigos escritos pelos 18 estudantes de design do programa.

Liderados pela directora do Studio 400 Professor Karen Lange, os alunos teceram, ao longo de quatro dias, cerca de 55 km de fita-cola (mais de 600 rolos) até alcançar a sua forma final. Mas apesar de terem levado pouco tempo, isso só foi possível devido a vários meses de desenho e planeamento. O produto final necessitou entre quatro a seis camadas de fita-cola para poder segurar o peso das pessoas.

Para ir de encontro com a estética de “Stuck”, as dissertações dos alunos foram penduradas numa espécie de casulo, tipo ovo. Durante o dia, as esferas mostram-se convidativas aos visitantes podendo enrolar-se dentro da estrutura a ler a pesquisa dos alunos. À noite, os participantes podem afundar-se nas sombras enquanto os estudantes faziam com que música de dança e vídeos projectados como que “explodissem” em suas paredes translúcidas. Neste ponto de sua exibição, um comunicado de imprensa descreve que as pessoas estavam “correndo e pulando dentro dos túneis de fita”, provando que estes alunos corajosos acabaram por mudar o ponto de vista da audiência em relação à fita-cola normalmente frágil, e desenhou uma experiência arquitetónica sólida e bela.

Fonte: thecreatorsproject

Comentários



Cidadã do Mundo

Com a cabeça nas nuvens interessa-se por tudo e por nada, diz mais do que o que pensa e pensa menos do que o que diz.

Publicação Anterior

Larry Sanders: Romântico ou Esmifra?

Proxima Publicação

Realidade Científica Ao Vivo