Nos dias do fim da MTV, o vazio e o superficial dominam as vidas de milhões. Uma das deusas da futilidade, Kim Kardashian West, pessoa que em larga medida deve a sua fama internacional ao facto de ter sido sujeita a prostituição audiovisual por parte dos progenitores desde tenra idade, é um dos ícones maiores desta cultura do artificial e uma das mais perfeitas ilustrações de como ser idolatrada sem fazer absolutamente nada que o justifique. O espelho da sociedade comatosa em que vivemos.Como qualquer pistoleira do calibre de Kim, a sua ocupação oficial é a de socialite, que é um termo fofinho para tias que vivem em festas betinhas agarradas a flutes e pirocas multimilionárias. E se as festas garantem em parte o sustento destas almas sem a mínima utilidade, o saltitar de órgão sexual em órgão sexual de músicos, desportistas e grandes empresários é o seu verdadeiro seguro de vida, com o ocasional casamento-golpe que permite o arrecadar de uma fatia da fortuna do otário anterior, garantindo alguns meses de subsistência a que algumas destas coisas chamam independência. E mesmo quando não há casamento, o valor arrecadado em jóias e similares permite algum desafogo. Fossem estes palermas menos palermas e perceberiam que podiam gastar muito menos para obter tudo o que estas galdérias estão dispostas a oferecer contratando prostitutas de luxo.

Acontece que estas coisas precisam de atenção. Muita atenção. E como há momentos em que 1 milhão de gostos no Facebook não chegam, torna-se necessário gritar para receber atenção. Foi o que Kim fez, quando, recentemente, decidiu twittar-se nua em frente ao espelho. E a humanidade adorou, partilhou, fez da situação headline de jornal, fez memes, fez gifs, enfim. Deu à jovem o que a jovem queria: mais protagonismo.

KimKPor estes dias, questionei uma conhecida que se interessa bastante por este fenómeno do social. Perguntei: que interesse tem para ti a Kim Kardashian? Respondeu-me: “Estás parvo? Ela é linda, espectacular, está em todas as festas onde toda a gente quer estar, namora com o Kanye West e é seguida por milhões de pessoas nas redes sociais. Chega?”. Chega minha cara. Chega explica em parte o estado a que chegamos.

Comentários



João Mendes

Publicação Anterior

Batman v Super-Homem: O Despertar da Justiça

Proxima Publicação

Teeth of the Sea @ Musicbox Heineken Series