Hoje estava eu a ver TV (que já por si só é um acto de coragem hoje em dia), e acabo por ver uma promoção no canal SIC de um programa que vai para o ar em breve, o Peso Pesado (outra vez, eu sei…). Neste vídeo promocional podemos ver meia dúzia de raparigas às quais perguntam se têm namorado. “Este começo foi bom”, pensei para mim. Todas aquelas raparigas belas e singelas respondem que não têm namorado. Pronto, até aqui tudo bem. Depois o “entrevistador” pergunta-lhes de como seria o rapaz ideal para elas e elas começam a enumerar qualidades humanas deveras honráveis, como por exemplo: “simpático, carinhoso…”. A seguir mandam-lhes fechar os olhos, prometendo ter esse tal rapaz para elas ali, naquele momento. Quando elas abrem os olhos, vêem um rapaz, que apesar de parecer ser simpático, também é obeso e o choque na cara das raparigas foi obvio! Do género: “Porquê é que não disse que também tinha que ser perfeito??”. E pronto, depois decidem humilhar o rapaz perguntando às raparigas se era “disto” (!!!) que estavam à espera, até porque todas elas dizem que não. E passam a explicar que o rapaz tem 117 kg (cruz credo) e aceitou “o desafio da vida dele” (isto se a esperança média de vida cair drásticamente) e que vai mudar! Yay!

Ora bem, depois de ter visto isto ainda estou a tentar digerir a quantidade de… nem sei bem o que lhe chamar, mas digamos preconceitos, numa tentativa de não dizer merda. Primeiro porque o físico de cada um é isso mesmo! De cada um! Falam do rapaz como se de uma aberração se tratasse, só tendo em conta factores externos que elas nem sequer mencionaram quando falaram do seu príncipe encantado! Não é linda a hipocrisia??

Depois porque dá a ideia que a coisa que uma rapariga mais quer na vida é ter um namorado.. Não digo que não o seja para algumas, mas neste caso todas as que apareceram no vídeo, mágicamente, estão cheias de vontade de arranjar um namoradinho e de certeza que já todas elas têm o vestido de casamento escolhido! Mas que boa é a “normalidade”.

Por fim, só me resta pensar será que o rapaz é a vítima aqui? Na minha opinião a vítima é o tele-espectador (vítima, mas uma vítima voluntária também). Sim porque o rapaz se tanto que mudar, isso bastaria para o fazer. Querer é poder. Este programa, como outro “Reality Show” qualquer, é feito para dar audiência ao canal, onde os participantes participam motivados pelo ganho monetário e neste caso, como já se viu em reportagens da própria SIC (ironias, das ironias) mal o programa acaba, lá vão eles encher a mula à grande porque agora podem a sério!

Clap clap clap!

Comentários



Cidadã do Mundo

Com a cabeça nas nuvens interessa-se por tudo e por nada, diz mais do que o que pensa e pensa menos do que o que diz.

Publicação Anterior

Eu, verme viscoso.

Proxima Publicação

VODAFONE PAREDES DE COURA – PARTE 2